Vinho Seco ou Suave

Vinho seco ou suave sabe qual a diferença?

Você sabe quais são as principais diferenças entre vinho seco ou suave? Apesar de serem duas das mais famosas categorias, nem todo mundo sabe o que faz com que cada um se encaixe nessa descrição.

Porém, para um bom apreciador de vinhos, é essencial que você saiba como cada um é preparado.

Por isso, preparamos esse artigo completo com tudo o que você precisa saber sobre os vinhos secos ou suaves. Assim, você pode identificar melhor essas características e se aventurar nas degustações de suas marcas favoritas.

Então, não deixe de ler esse artigo até o final para se tornar um especialista nesse universo tão delicioso!

Então vamos começar?

Vinho Seco ou Suave

Principais características entre vinho seco e vinho suave:

Vinho seco

O principal fator para categorizar um vinho seco é a quantidade de açúcar em sua composição. Assim, o número utilizado como base é a relação de quatro gramas de glicose por litro.

Então, para entender melhor isso, você deve saber o que é o açúcar residual. Esse termo é utilizado para identificar o açúcar que permanece no vinho após a finalização do período de fermentação.

Durante esse tempo, o açúcar residual para por uma transformação para virar o álcool.

Para produzir um vinho seco, é preciso esmagar as uvas e, então, começar a fermentação. Assim que o açúcar vira o álcool, medimos a quantidade de glicose para ver em qual categoria ele se enquadra.

Caso a porcentagem seja menor que 4 gramas por litro, então, você está diante de um vinho seco. Assim, outra característica muito importante da categoria é a exclusividade das uvas.

As frutas utilizadas em sua fabricação são sempre viníferas. Isso significa que elas são de famílias mais nobres que as utilizadas para a produção de outros tipos de vinho.

Sendo assim, em relação ao sabor, podemos considerar que o vinho seco é mais “bruto”. O aroma do açúcar é mais difícil de ser percebido. Por isso, ele costuma ser mais difícil de agradar o seu paladar.

Vinho suave

Em contrapartida, os vinhos suaves são conhecidos por ter uma porcentagem maior de glicose dentre os seus ingredientes. Afinal, eles são conhecidos como suaves!

Então, como o açúcar é presente em maior quantidade, seu sabor costuma ser mais fácil de ser digerido pela maioria dos paladares.

No Brasil, considera-se um vinho como suave quando o nível de glicose ultrapassa o limite de 25 gramas por litro. Como você pode ver, o número é muito maior que a base utilizada para a classificação dos vinhos secos.

Vale ressaltar que o vinho suave também pode ser produzido a partir de uvas de famílias nobres.

Porém, a grande maioria das garrafas comercializadas são produzidas com uvas mais comuns, até mesmo com as que estamos acostumados a comprar em casa. Portanto, existe a crença de que os vinhos suaves têm a qualidade inferior aos secos.

Vinho meio seco

Entre as categorias de vinhos secos e suaves, existem também os vinhos meio secos. Aqui, enquadram-se as bebidas cujo teor de glicose fica na faixa entre 4 e 25 gramas por litro.

O sabor desse tipo de vinho costuma ser mais frutado, mas ainda agrada àqueles que não gostam de bebidas muito doces.

Os vinhos meio seco estão presentes em grande quantidade no mercado. Existem, inclusive, variedades entre vinhos tintos, brancos, rosés e até mesmo espumantes.

E o vinho de sobremesa?

Por ter um aroma mais doce, é comum confundir os vinhos suaves com os famosos vinhos de sobremesa. Mas atenção! Eles não são a mesma coisa.

O nível de açúcar encontrado nos vinhos de sobremesa é ainda maior. Ou seja, eles são mais adocicados e, por isso, costumam ser consumidos após as refeições ou para harmonizar com certos tipos de doces.

Como degustar vinho seco e suave?

Agora que você já sabe quais são as diferenças entre vinhos secos e suaves, chegou a hora de começar a degustação. Um dos grandes diferenciais do vinho é que cada bebida aguça nossos sentidos de formas diferentes.

É por isso que tantas pessoas gostam de provar diferentes rótulos, feitos à partir de frutas diferenciadas e até mesmo de diversos locais ao redor do mundo.

Os vinhos secos costumam ser percebidos melhor nas laterais da língua. Afinal, essa é a região que identifica sabores menos frutados com mais facilidade.

Já os vinhos meio secos, suaves e até de sobremesa devem ter o seu sabor identificado à partir da ponta da língua. Nessa região, o açúcar se torna prioridade na degustação.

E aí, qual é o seu preferido? Vinho seco ou suave? Deixe a sua indicação de rótulo no espaço de comentários abaixo para ajudar os nossos demais leitores.

Aproveite o espaço também para tirar alguma dúvida que possa ter ficado sobre o tema.

E não deixe de compartilhar esse artigo em todas as suas páginas nas redes sociais. Obrigado e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *